sexta-feira, 17 de agosto de 2007

QUEM SOU ?!

Com a necessidade de classificar de alguma forma o sujeito e/ou se criar à idéia de que tem que se ter uma identidade, de que se tem que fazer parte de alguma tribo, de se construir um perfil pré-moldado e caso você não queira se encaixar nestes padrões, não se preocupe, pois as pessoas farão isso por você, elas estão sempre te pré-julgando. Então já que não podemos fugir disso, quem melhor que nós para falarmos de nós mesmo? Faremos isso, antes que os outros façam e se assim fizerem, que façam. Pois bem, nesse mundo contemporâneo, sou só mais um individuo cheio de sonhos, duvidas, incertezas, questionamentos, idéias, indignação, etc. Talvés eu possa ser um mesclado de Dom Quixote com Peter Pan, mistura de cavaleiro andante, sonhador, amigo de todas as horas e pra sempre criança. Vibro em outra freqüência, equalizo o que há de bom, me encontro em constante transição ideológica, reformulo a minha vida metamorfosicamente numa analise critica, buscando incessamente a essência, vez em quando reinício o dia escaneando o que de melhor houve, vez ou outra salvando as horas para assim garantir sempre o amanhã. Não sei se em futuros livros de História serei a memória de dias que virão, nem sei se estes dias virão. O pior disso é que meus sonhos nunca acabam bem, simplesmente pelo fato deles nunca acabarem, apesar de meus sonhos serem os mesmos não há mais tempo para mim sonhar tanto. Às vezes tenho a impressão que o futuro repete o passado, nesse momento cíclico vejo que quem não conhece o passado não entenderá o futuro jámais, quando os tempos são outros e os erros os mesmo fica quase impossível procurar o céu azul no mar vermelho, vermelho sangue das lagrimas dos crocodilos apoeticos. Sorria como eu sorrio, sorria, pois estamos com nosso filme queimado no hoje que por acaso é o amanhã do ontem. Não perca tempo em tentar entender quem eu sou se você ainda nem sabe direito quem você é e nem vai saber, pois estamos nos moldando a todo tempo. A única certeza que tenho é a de que como você, também não sou muito normal, nem sei o padrão que a maioria classifica como normal, pois eles também são diferentes, então onde foi parar a normalidade? Só sei que de quase nada sei e que meu estilo de viver liberta minha mente, podem me chamar de louco, porém sou um louco bastante consciente. É verdade que não sou muito normal; alguns me chamam de louco, lunático, estranho, doido, maluco, anormal, doideira, diferente... Mas quem vive sem um pouco de loucura? Quem quer ser igual? Ser igual deve ser tão monótono e ocioso que acho que o tédio enlouquece o ser humano. Pensando eu estava: A vida pode muito bem ser uma loucura criada por um grande louco, onde os normais tendem a reverencia-lo, sendo normais e portanto anormais, já que a normalidade é considerada uma anormalidade. Nesse mundo louco ser estranho é ser normal e ser normal é ser estranho, à loucura é nada mais do que a pureza em forma de atitude e sem maldade alguma, então pra que termos carros se podemos voar?! Depois disso tudo que você leu não entendeu nada do que eu quis dizer? Ainda não sabe quem eu sou? Fique triste não, somos dois! Também não entendi quase nada e amanhã posso até discordar de tudo isso. Agora acho que já sabemos quem eu sou, sou como você, diferente dos outros e igual a todos. Os encomodados que se mudem, vim aqui pra encomodar. E como certa vez falou o poeta: “somos todos iguais e tão desiguais... somos todos iguais, mas uns mais iguais que os outros”.